24 a 26 de Agosto de 2021 Acesso
2
Gratuito para sócios
O evento é gratuito para sócios da Sociedade Brasileira de Fitopatologia. Aproveite a oportunidade para se cadastrar ou regularizar seu cadastro.
100% online
A edição 2021 do CBFITO está imperdível e será 100% online.

Somos sociais

GTTs


Os GTTs são gratuitos.

GTT 1 - Epidemiologia

Coordenador / Vice-coordenador

Dr. Emerson M. Del Ponte

Data e Horário

24/08/2021 08:00 - 10:00

Conteúdo

O Grupo Temático de Trabalho (GTT) Epidemiologia foi criado formalmente durante o 51 Congresso Brasileiro de Fitopatologia com o objetivo de não ser somente mais um espaço para discutir pesquisa. De acordo com as diretrizes da SBF, o GTT se propõe a ser um fórum permanente para articular ações para o desenvolvimento e promoção do ensino e pesquisa teórica e prática em Epidemiologia no Brasil, com respaldo da Sociedade. Além disso, o GTT é responsável por promover o tradicional Workshop Brasileiro de Epidemiologia de Doenças de Plantas (EpidemioBrasil), com cinco edições já realizadas desde 2004. É com satisfação que convidamos os interessados a participarem da nossa segunda reunião do GTT Epidemiologia no 52o CBFito, no dia 24 de agosto, terça-feira, às 8h. Dentre os pontos a serem discutidos na pauta, incluem-se a definição de data para os eventos de epidemiologia no âmbito nacional (EpidemioBrasil) e internacional (IEW13), além de outros assuntos de interesse da área de epidemiologia como lançamento de livros, programas de computador, diretório de epidemiologistas, novidades na área e intercâmbio com estudantes e profissionais que atuam no exterior.

GTT 2 - Mulheres na Fitopatologia

Coordenador / Vice-coordenador

Drª. Maria Isabel Balbi
Vice-coordenadora: Renata Belisário

Data e Horário

24/08/2021 10:00 - 12:00

Conteúdo

O GTT Mulheres na Fitopatologia surgiu em 2019 como um grupo temático de trabalho associado à Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF). É um grupo de divulgação científica que tem por objetivos promover a representatividade feminina no ambiente científico, destacar o trabalho de mulheres fitopatologistas, corrigir fatores de desigualdade na carreira de mães e pais cientistas, conectar mulheres fitopatologistas e promover uma atmosfera de colaboração, entre outros. O grupo tem desenvolvido várias ações nestes dois anos, dentre as quais destacamos: fitopatologia em vídeo, minibiografias, palestras online, plataforma de mulheres fitopatologistas, levantamento da distribuição por gênero das comunidades profissional e estudantil vinculadas a fitopatologia (2020/2021), publicação de e-book infantil, calendário 2021, ações em prol da igualdade de gênero na ciência. Apresentaremos os resultados e impactos destas ações e discutiremos novas iniciativas para o período 2021-2023.

GTT 3 - Parceria público privada na pesquisa em Fitopatologia

Coordenador / Vice-coordenador

Dr. Flávio Henrique Vasconcelos de Medeiros

Data e Horário

24/08/2021 14:00 - 16:00

Conteúdo

No Grupo Temático de Trabalho de Parceria Público-Privada do nosso Congresso Brasileiro de Fitopatologia deste ano abordaremos o perfil do fitopatologista que o mercado de trabalho precisa. Na última edição deste GTT, foram discutidos vários assuntos relacionados às oportunidades de financiamento privado de pesquisa. As trocas de experiências foram muito engrandecedoras e recebemos retorno de colegas que se beneficiaram com esse momento e estão buscando estas formas de apoio para manter suas pesquisas, orientações e continuar formando os profissionais de fitopatologia que o mercado precisa. Por sinal, algo que chamou a atenção nas discussões foi acerca deste perfil do profissional que o mercado precisa. -Será que estamos preparando os fitopatologistas para o que o mercado de trabalho? Em que estamos acertando e errando? Como podemos melhorar? Como os profissionais podem buscar esse aperfeiçoamento depois de terem saído da Universidade? Convidamos para este momento três fitopatolgistas: Professor Samuel Júlio Martins, University of Florida; Professora Fernanda Medeiros, Universidade Federal de Lavras e o Dr. Luis Cláudio Cunha, Corteva Agrisciences. Eles irão iniciar o debate colocando suas visões sobre o assunto no Brasil e nos Estados Unidos. Todos estão convidados para debater o assunto e apresentar suas inquietações e provocações.

GTT 4 - Patologia de Sementes

Coordenador / Vice-coordenador

Coordenador: Dr. José Maurício Pereira/ Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Vice coordenadores:
Dra. Ellen Noly Barrocas/ Índigo Ag Brasil
Prof. Dr. José da Cruz Machado/ Universidade Federal de Lavras
Dr. Murillo Lobo Junior/ Embrapa


Data e Horário

24/08/2021 16:00 - 18:00

Conteúdo

1- Evolução da Patologia de Sementes no Brasil
2- Legislação Sanitária Vegetal: Patologia de Sementes
3- Panorama da produção de sementes de feijão no Brasil
4- O papel do COPASEM na Sanidade de Sementes

GTT 5 - O Futuro do Jovem Fitopatologista

Coordenador / Vice-coordenador

Joyce Dellavechia Ferreti - GFITO-LQ/ ESALQ
Thaís Regina Pintino de Almeida - LIAFT/UFRPE

Data e Horário

25/08/2021 08:00 - 10:00

Conteúdo

Além de oferecer novas oportunidades aos jovens Fitopatologistas, o empreendedorismo traz contribuições para o Brasil e, principalmente, para o produtor rural, através do desenvolvimento de novas idéias, ferramentas e mercados, propiciando soluções distintas das convencionais, para problemas existentes. Diante disso e, baseando-se nas dificuldades atuais enfrentadas pelo setor de Ciência, Tecnologia e Educação do País, tal como cortes de bolsas e nos investimentos realizados nas Universidades Federais, a inovação e o empreendedorismo tornam-se aliados dos jovens Fitopatologistas, incentivando-os a desenvolver seus projetos na sua área de formação. Pensando nisso, o Grupo Temático de Trabalho, intitulado "O futuro do Jovem Fitopatologista", trará palestrantes que mostrarão suas histórias de sucesso como empreendedoras, além de mostrar quais requisitos são necessários para os investidores se interessarem por uma startup, mostrando novos caminhos e possibilidades após o término da pós-graduação.

GTT 6 - Pragas quarentenárias ausentes

Coordenador / Vice-coordenador

Juliana Ribeiro Alexandre (Fiscal Federal Agropecuário no Ministerio da Agricultura, Pecuária e Abastecimento)
Vice-coordenador: Luiz Augusto Copati Souza
Outros Ministrantes Danilo Pinho (Unb) e Regina Melo Sartori Coelho (LFDA-GO/MAPA)

Data e Horário

25/08/2021 10:00 - 12:00

Conteúdo

A medida em que novos mercados são abertos, e a importação de novos produtos vegetais é autorizada, também abrem-se as portas para o ingresso de pragas exóticas com alto potencial de causar dano aos produtos do agronegócio brasileiro, as denominadas Pragas Quarentenárias Ausentes ? PQA. São aproximadamente 700 organismos listados pelo MAPA, e para as quais devem ser estabelecidos planos de prevenção e vigilância, tendo em vista a sua presença no Brasil representar grande perda econômica para o setor produtivo, e altos valores também para o MAPA realizar ações de controle. Neste sentido, o MAPA, em cooperação com a Embrapa, estabeleceu critérios de priorização dessas pragas e doenças a fim de otimizar suas ações de prevenção, o que resultou em uma lista de 20 PQA prioritárias, ou seja, aquelas que estão na eminência de ingressar e se estabelecer no país e que afetam não somente a produção agrícola nacional, mas também o mercado internacional, pois sua presença em um país parceiro geraria restrições ao comércio. Diante deste cenário, é de extrema importância alertar as instituições de ensino e pesquisa relacionadas à agricultura quanto à demanda por informações relativas a estas pragas, bem como na priorização também de suas linhas de pesquisa para desenvolver ferramentas que possam auxiliar na prevenção e controle dessas pragas e doenças.

GTT 7 - Controle biológico e alternativo de doenças em plantas

Coordenador / Vice-coordenador

Coordenador: Dr. Gil Rodrigues dos Santos
Vice-coordenador: Eugênio Eduardo de Oliveira

Convidados:

-José Cláudio de Oliveira
-Magno Rodrigues de Carvalho Filho
-Aloisio Freitas Chagas Júnior


Data e Horário

25/08/2021 14:00 - 16:00

Conteúdo

Este tema continua tendo muita atenção da sociedade, empresas e de todos que trabalham com agricultura. Também recebeu grande número de trabalhos a serem apresentados durante o 52o CBFito e certamente irá atrair a atenção de muitos pesquisadores. Sabemos que o Controle Biológico e Alternativo de Doenças em Plantas já conseguiu vencer muitos desafios, mas ainda precisamos fortalecer a cadeia de produção sustentável gerando informações técnico-científicas relacionadas ao tema. Durante a apresentação de nosso GTT, teremos informações, relatos de desafios e perspectivas na visão empresarial. Participarão também pesquisadores de diferentes instituições que abordarão os seguintes temas: tecnologias utilizadas na produção de bioprodutos, resultados promissores de pesquisas com agentes de controle biológico, alguns protocolos adotados na pesquisa de bioprodutos, novas ferramentas bioracionais para o controle de fitopatógenos e impacto em organismos benéficos não-alvos. Você poderá nos trazer sua experiência de pesquisa ou de trabalho nesta área, de modo que possamos aproveitar bem o tempo que teremos juntos. A sua participação muito enriquecerá a nossa discussão!

GTT 8 - Patógenos Radiculares

Coordenador / Vice-coordenador

Dr. Sami J. Michereff

Data e Horário

25/08/2021 16:00 - 18:00

Conteúdo

1. Pontos para discussão:
- As análises de patógenos radiculares no solo oferecidas como serviços por algumas empresas/instituições constituem uma ferramenta útil para tomada de decisão sobre o manejo das doenças?
- A maioria dos laboratórios ou clínicas fitopatológicas do Brasil não conseguem realizar na rotina a identificação por análise de DNA, que permite a identificação precisa das espécies dos patógenos radiculares. A identificação dos patógenos apenas ao nível de gênero é suficiente para tomada de decisão sobre o manejo das doenças?
- Qual a situação dos estudos sobre interações entre fungos causadores de doenças radiculares e fitonematoides?
2. Propostas de encaminhamento:
- Implementação de uma homepage do GTT Patógenos radiculares no site da SBF.
- Criação de base de dados com possibilidade de consulta pública contendo informações sobre os pesquisadores que trabalham com patógenos radiculares e a clínicas/instituições fazem diagnósticos/identificações específicas desses patógenos.
- Organização de grupos temáticos dentro do GTT Patógenos radiculares, como exemplo: Fusarium, Macrophomina, Rhizoctonia, Sclerotinia, Interação entre patógenos radiculares, Manejo de patógenos radiculares, entre outros.
- Organização de redes de trabalho sobre patógenos radiculares para coordenação de atividades e otimização de tempo e recursos.